Chamada de trabalhos para a Revista Faces da História

A Revista Faces da História, publicação discente do programa de Pós-Graduação em História da UNESP/Campus de Assis, lançou há pouco a chamada para artigos referentes ao nosso próximo dossiê temático “Olhares sobre o Medievo: fronteiras e problemas”

Dossiê Temático: Olhares sobre o Medievo: fronteiras e problemas

Organizadores:

Profa. Raquel de Fátima Parmegiani (UFAL – Maceió)

Prof. João Paulo Charrone (UFPI – Bom Jesus/ Doutorando UFF

Profa. Pâmela Torres Michelette (UFPI – Bom Jesuas/Doutoranda UNESP/Assis

Doutoranda Lígia Cristina Carvalho (UNESP/Assis)

Data-limite para submissão de artigos para o dossiê: 09/08/2015

A Idade Média, longo período compreendido entre o século V e o século XV, atrai cada vez mais os olhares dos historiadores brasileiros, em função da alteridade de uma civilização marcada pela tensão dos contrários atravessada pelo sagrado e o profano, pelo rural e o urbano, pelo obscurantismo e o esclarecimento, etc. A busca pela compreensão das dicotomias medievais, que perpassa seus aspectos políticos, econômicos, sociais e, principalmente, culturais, tornou-se o foco dos grandes historiadores responsáveis pela renovação motivada pela Escola dos Annales, tal como: Marc Bloch, Lucien Febvre, Jacques Le Goff e Georges Duby. Ainda que esses historiadores tenham renovado os estudos medievais em meados do século XX, os efeitos de suas propostas e análises chegaram tardiamente no Brasil. Até a década de 1980 os departamentos de história aqui estavam envolvidos, principalmente, com uma história política engajada que possibilitasse não apenas a apreensão, mas superação de sua situação política, em detrimento dos estudos culturais.

Com o processo de redemocratização política brasileira e o acesso à obras e traduções dos historiadores franceses, as pesquisas históricas no Brasil ganharam novas cores, contornos e, sobretudo, desafios. Apesar da assertiva de que recuados recortes temporais não nos pertenceriam e nos eram alheios por diversas razões, os departamentos tiveram que ceder espaço aos antiguistas e medievalistas. O desenvolvimento dessa empreitada se deu, principalmente, por meio da matriz sociocultural.

Hoje, com a retomada da história política e quiça suas perspectivas marxistas, os estudos sobre o Medievo ganham novos olhares permeados por outros ‘novos problemas’ e ‘novas abordagens’. Diante desses desafios sempre renovados, este dossiê constitui, assim, um espaço para divulgação, discussão e, sobretudo, reflexão acerca da produção historiográfica elaborada no campo da medievalística, possibilitando o mapeamento dos desafios e problemas da área e, ao mesmo tempo, apontar novos caminhos e perspectivas sobre este recorte temporal.

O material deve estar em conformidade com as normas da revista, disponíveis em http://seer.assis.unesp.br/index…/…/about/editorialPolicies… e relacionados ao eixo temático.

Para mais informações, acessar: http://seer.assis.unesp.br/index.php/faces/index